internet

Após cassação de mandatos em Sapé, TRE da Paraíba faz retotalização e define novos vereadores e suplentes

Por portalvirgulaparaiba.com em 01/12/2022 às 23:38:41

Após cassar, com maioria dos votos, os registros e diplomas de todos os candidatos ao cargo de vereador no município de Sapé pelo Cidadania, devido à fraude de cota de g√™nero nas elei√ß√Ķes 2020, o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), divulgou os nomes dos novos parlamentares eleitos após a recontagem dos votos.

Como obtido pelo ClickPB, a decis√£o assinada pela juíza Eleitoral em Substitui√ß√£o da 04¬™ Zona Eleitoral, Andréa Costa Dantas Botto Targino, foi publicada na edi√ß√£o desta quinta-feira (1) no Di√°rio da Justi√ßa Eleitoral.

Tiveram os diplomas cancelados os vereadores: Teresinha Danielle Virginio dos Anjos e Pedro Ramos Cabral, ambos em exercício do mandato, além dos suplentes, Antonio Carlos de Mendon√ßa, Antonio Marcos Estev√£o de Farias, Cristhianne de Barros Tavares, José Adailton dos Santos Araújo, Jose Valter Batista, Josinaldo Ricardo Coelho, Jussie Guarabiraba de Carvalho, Pedro Vieira da Silva e Vanessa Silva de Sousa, todos(as) registrados(as) pela dire√ß√£o municipal do Cidadania em Sapé/PB, cujos registros foram cassados por decis√£o do TRE-PB.

O Tribunal expediu os novos diplomas de vereadores aos candidatos Marcus Aurélio de Sena Silva (Progressistas) e Jose Wilson Flor√™ncio Cavalcante ( Partido da Social Democracia Brasileira) considerados eleitos a partir do reprocessamento da totaliza√ß√£o, bem como
aos respectivos suplentes dos partidos em quest√£o (até a 3¬™ supl√™ncia), com a devida anota√ß√£o
nos sistemas informatizados pertinentes.

Elei√ß√Ķes 2020

O Cidadania elegeu dois vereadores no pleito municipal: Teresinha (Cidadania), a candidata mais bem votada, com 1.283 votos; e Pedro Ramos, com obteve 959 votos. A a√ß√£o foi apresentada por concorrentes ao cargo – Egberto Jose Carneiro e José Wilson Florencio Cavalcante – por motivos similares a outros casos julgados da mesma forma pelo TRE-PB, apontando que o Cidadania teria lan√ßado "candidaturas fictícias" para fraudar a cota de g√™nero.

O Cidadania lan√ßou candidaturas femininas, mas pelo menos tr√™s delas n√£o teria concorrido de fato. Foi constatado pela Justi√ßa que Vanessa Silva de Souza, Ozana Ferreira da Silva e Cristhianne de Barros Tavares n√£o fizeram campanha e n√£o buscavam os votos dos eleitores, nem obtiveram votos nas elei√ß√Ķes, ou seja, nem os delas mesmas.

Fonte: Clickpb

Comunicar erro

Coment√°rios